Publicidade infantil: marketing x dia das crianças

Publicidade infantil: marketing x dia das crianças

Como desenvolver campanhas válidas e contundentes diante das barreiras com o público infantil?

 

Está chegando o dia das crianças, e como em todas as datas comemorativas o mercado está se preparando para a demanda. Mas nesse feriado em específico a publicidade e o marketing tem um desafio especial: Como fazer campanha em um feriado infantil? Foi só na década de 80 que com o crescimento das tecnologias da comunicação e alterações nas estruturas familiares, que as empresas encontraram nas crianças uma possibilidade de público consumidor.

Por conta disso, começaram a ser impostas restrições para as estratégias de marketing voltadas para as crianças. Segundo alguns teóricos, como Piaget e Freud, é na infância que se inicia o desenvolvimento de raciocínio abstrato, no qual significados começam a ser atribuídos à forma dos objetos. Nesse momento a publicidade pode causar distorções e levar os pequenos a associar identidade e auto afirmação aos objetos de desejo.  Esse comportamento pode também desencadear outros como individualismo e violência.

No Brasil, apenas em 2007 o Conar (Conselho Nacional de Autorregulação Publicitária) determinou as regras do jogo. Segundo a lei brasileira, há uma série de proibições e cuidados no fazer publicitário voltado para o público infantil.

Confira a lista DO NOT na publicidade infantil:

  • É proibido o uso de imperativo como “compre” ou “peça aos seus pais”.
  • Não pode conter conteúdos que desvalorizem a família, a vida saudável, escola ou proteção ambiental.
  • Não deve conter preconceito social, religioso, racial ou de qualquer natureza.
  • Não é permitido que seja apresentado em formato jornalístico.
  • Não pode gerar medo, colocá-las em situação de perigo ou constrangimento por não consumir o produto.
  • É proibido desmentir o papel dos pais e orientadores
  • É proibido apresentar produtos que substituam refeições
  • Não pode estimular consumo exagerado de comidas ou bebidas.
  • Não deve menosprezar a alimentação saudável.
  • É proibido associar crianças e adolescentes a situações ilegais, perigosas ou socialmente condenáveis.
  • Não se pode fazer merchandising em programas dirigidos a crianças ou utilizando personagens do universo infantil para atrair a atenção desse público.

Todas essas barreiras são plenamente compreensíveis, mas resta a pergunta: como o mercado da propaganda e marketing pode se mobilizar nesta data ou diante do público infantil? É nesse momento que o inbound marketing pode te ajudar. Essa estratégia concentra forças em atrair a atenção do seu público através de conteúdos informativos, construindo relacionamentos que podem se tornar duradouros e assumindo um posicionamento de destaque para aquele possível cliente.

Com o inbound marketing, abre-se um novo caminho para chegar ao público infantil através dos responsáveis. Com informações bem fundamentadas e úteis, a marca pode conquistar a confiança de um responsável que possui poder compra e decisão. É importante ir além dos simples apelos comerciais e realmente divulgar conteúdos úteis e informativos, que trarão prestígio à marca e agregaram valor à relação com este potencial consumidor.

Aqui na sensorial trabalhamos na construção dessa relação saudável em favor dos nossos cliente. Para este feriado desenvolvemos uma campanha para o Colchão Flow. Nosso objetivo nesse projeto foi, além de informar sobre questões importantes a respeito do sono das crianças, estimular um relacionamento mais intenso entre pais e filho. Ensinamos a construir um forte de lençóis e ressaltamos como a prática de histórias na hora de dormir podem estreitar o relacionamento e ainda melhorar a qualidade do sono.

 

No Comments
Post a Comment